O ERP pode ajudar a diminuir o desperdício e apoiar o esforço de reciclagem

​Chegámos a um patamar social, económico e político onde os efeitos da falta de aperfeiçoamento da reciclagem e da gestão do desperdício alimentar no setor alimentar prejudicam não só o ambiente como o próprio negócio. Indústrias alimentares e distribuidores têm de encontrar soluções para resolver o problema e evitar perdas. Uma solução completa de ERP pode ajudar a reduzir o desperdício alimentar em toda a cadeia, processos de produção e distribuição do setor Alimentar.

Com a ajuda de uma plataforma ERP completa e moderna, as empresas do setor alimentar podem beneficiar de diferentes recursos para simplificar a sua produção, aumentar as medidas de reciclagem e reduzir o desperdício alimentar:


Como reduzir o desperdício alimentar e ajudar o planeta com a solução adequada de ERP?

O problema do desperdício alimentar e da reciclagem
O desperdício alimentar ocorre nas várias etapas do seu percurso, desde o produtor à distribuição e revenda, até ao consumidor final. Nos países europeus o desperdício alimentar chega aos 150 quilos por pessoa, sendo superior em 250 quilos noutros países. A Europa, assim como a América do Norte e a Oceania juntas, são responsáveis por 14% do desperdício alimentar do mundo e, a Ásia industrializada é responsável por 28%. A América Latina e regiões de África estão entre 6 e 9%. Apesar do desperdício mundial das frutas e legumes ser em maior percentagem, o desperdício de carne, ovos e peixe também é substancialmente elevado. Diferenças importantes na produção de desperdício alimentar são percetíveis em todas as regiões do mundo.

Grande parte da responsabilidade reside nas práticas de planeamento, gestão, produção e cadeia de abastecimento das empresas alimentares. Com o recurso aos últimos avanços tecnológicos, disponíveis nos softwares de gestão (ERP), uma grande quantidade dos problemas de reciclagem e de desperdício podem ser solucionados. Para evitar gerar desperdício, a empresa alimentar deve garantir que o que for produzir tem a elevada possibilidade de ser vendido e de forma lucrativa, respondendo assim à procura real e dentro do prazo de consumo de cada produto.

Avaliar e controlar com gestão de qualidade
Gestão de qualidade é outro aspeto essencial onde um ERP, especializado no Setor Alimentar, pode trazer vantagem ao controlar as etapas da cadeia de abastecimento. Com testes de qualidade e rastreamento eficazes e de forma regular, torna-se mais fácil melhorar a qualidade exigida a fornecedores evitando comprometer a qualidade da produção. As empresas alimentares podem verificar a qualidade dos produtos antes de darem entrada em armazém e enviar apenas produtos que satisfaçam as expetativas de qualidade dos consumidores.

Métricas e tempo ajudam na capacidade para reciclar
As métricas ajudam na reciclagem. Quando aplicadas corretamente, métricas tais como best before ou sell-by podem ajudar as empresas alimentares a se manterem atentas ao controlo da deterioração da qualidade e fazerem uso de produtos sensíveis, ou produtos que podem ser levados para uma instalação de reciclagem.

E o tempo é fundamental. No momento da tomada de decisão, bem como nas decisões organizacionais, as decisões certeiras podem ser o fator decisivo na cadeia de distribuição e tornarem-se críticas para diminuir o desperdício, o que poderia ter como consequência o aumento do lucro. Empresas alimentares com operações de baixo desperdício podem fazer uso das funções informativas de estatísticas dentro de um ERP específico para a área alimentar, para avaliarem e controlarem o nível de stock e ajustando processos e reduzindo ou redistribuindo inventários perecíveis.

Fonte: Foodware365