Os co-produtos serão desperdícios ou produtos gerados não intencionalmente?

​Na indústria alimentar, a preocupação primordial é a segurança alimentar. Os produtos transformados e comercializados têm impacto na saúde dos seres humanos que os consomem diariamente.

Daí a regulamentação existente para garantir a validade e boa qualidade dos produtos, a rastreabilidade e a informação nutricional.

Na perspetiva de gestão do negócio de uma indústria alimentar, esta regulamentação é muitas vezes uma ameaça à maximização da rentabilidade e agilidade dos processos. Nesta indústria não basta selecionar a matéria-prima a consumir mas temos que selecionar o lote da matéria-prima com uma data de validade mais curta (FEFO), só para dar um exemplo.

Os sistemas de informação integrados (habitualmente designados como ERP) incorporam um conjunto de funcionalidades que permitem a estas indústrias usar as Best Practices sem comprometer a maximização da rentabilidade mantendo processos ágeis.

A grande maioria dos ERP's de mercado está concebido de raiz para cobrir os processos produtivos em que há lugar à assemblagem ou transformação de várias matérias-primas com um objetivo de geração de um produto acabado. É a vulgarmente denominada produção discreta.

Quando nos focamos no nicho de indústrias alimentares que usam uma matéria-prima principal e após transformação geram vários produtos temos o desafio oposto. São os casos da desmancha de animais e da calibração de frutos e legumes frescos.

A estiva dos produtores de suínos, transforma a carne de porco (animal completo) nas diversas "peças" comercializáveis do porco como: entremeada, presunto, lombinho,...

O corte dos transformadores do bacalhau transforma a peça nos diversos cortes como: lombo, posta, postinha, migas,...

A escala dos produtores de frutos e legumes frescos separa a colheita completa em frutos ou legumes de diversos calibres.

Este processo é muitas vezes denominado de Gestão de Produtos Divergentes, Gestão de Co-Produtos ou aproveitamento dos Desperdícios.

Não há dúvida que fruto da necessidade da maximização da rentabilidade, cada produtor nestes negócios, olha para todos os produtos transformados como "vendáveis" sejam eles denominados de Divergentes, Co-Produtos ou Desperdícios. Além da maximização da rentabilidade do seu negócio, cada empresário está também a zelar por um Mundo mais sustentável onde há um aproveitamento maior e uma redução do desperdício global.

Se gere um negócio com este cariz, não deixe de nos consultar. A myPartner tem na sua oferta o ERP NAV Foodware concebido de raiz para a indústria alimentar.