Um software de gestão deve responder a requisitos legais e fiscais

Cada organização num dado momento do seu percurso​ empresarial é obrigada a selecionar um ERP para suporte dos seus processos de negócio. Na grande maioria das vezes, este processo de seleção tem como principal driver a seleção de um software que responda às necessidades do ne​gócio, do dia-a-dia e da gestão.

Desde​​ há alguns anos a esta parte, as alterações legais e também o desenvolvimento tecnológico da Autoridade Tributária, não nos permitem hoje descurar, na avaliação de um ERP, a sua capacidade de responder aos requisitos legais e fiscais.

Vejamos:

- Diariamente transportamos materiais, cujos documentos de transporte, certificados, são comunicados à AT,​

- efetuamos faturas, certificadas, que são comunicadas mensalmente,

- o inventário é comunicado anualmente,

- a declaração do IVA é enviada mensalmente,

- o Dossier Fiscal e a IES são entregues anualmente,

- ...

Ou seja, independentemente do seu negócio, o dia-a-dia da empresa é seriamente comprometido com satisfação das regras legais e fiscais.

Que estrutura necessitaríamos de ter para responder a todas estas necessidades, sem um ERP que respondesse às questões legais e fiscais?

Garantir o cumprimento das obrigações legais e fiscais, validar os dados necessários, bem como a utilização ​de todos os automatismos hoje disponíveis, sejam integrações por webservices​ ou por ficheiros XML, deve ser hoje um requisito obrigatório em qualquer seleção de ERP. Hoje mais do que nunca, os recursos internos das organizações têm que estar focados nas actividades que geram Cash-Flow na sua organização.

O Microsoft Dynamcis NAV dispõe de um add-on da Localização Portuguesa​​, certificado pela Autoridade Tributária e certificado pela Microsoft, que lhe garante o cumprimento das obrigações legais portuguesas.

Pergunte-nos como o Dynamics NAV poderá ajudar a sua organização a seguir ​o seu caminho de Transformação Digital e garantir o Tax & Legal Compliance.​​


Outros temas: